Minha coluna dói

Cruze a linha de chegada

| 24 de maio de 2019

Domingo passado, 19 de maio de 2019, ao concluir a prova dos 10km da Tribuna em Santos (SP), completei a emblemática marca de 1000km percorridos em provas oficiais. Comecei nesse mundo em 2007, exatamente nessa mesma prova, que sempre ocorre no 3º domingo de maio. Na época, eu estava no meio de um processo de recuperação de uma cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior – lesão que eu tinha “ganho” no final de 2006 jogando futebol. Por orientação do fisioterapeuta que cuidava do meu caso, a corrida seria uma forma eficiente de ganhar novamente musculatura e, de certa forma, perder qualquer medo de retomar as práticas esportivas. 

Completei essa primeira prova em 1h12m56s, um tempo que pode parecer bem ruim aos iniciados, mas que pra mim foi como uma medalha olímpica – só quem já passou pelo stress de uma cirurgia como essa pode entender o que estou falando. Continuei correndo para fortalecer e acelerar meu retorno aos esportes (futebol e tênis), mas acabei sendo abduzido pela energia da corrida e, quando percebi, já estava madrugando aos finais de semana e calçando tênis, comprando relógios medidores de batimento cardíaco e me inscrevendo em novas provas. 

Para quem nunca experimentou a sensação de cruzar a linha de chegada, recomendo fortemente. Dizem que é a endorfina, hormônio conhecido por proporcionar bem-estar e sensação de felicidade, liberado em nosso organismo após meia hora de exercícios aeróbios, ou por meio do consumo leve de chocolate. Na dúvida, eu faço os dois, e sigo feliz! 

Vamos lá, levante do sofá e experimente também.

1000 Km

95 provas

05’34” pace médio

0:50:11 melhor tempo nos 10 km

 

Todos os posts da categoria MINHA COLUNA DÓI foram escritos por meu pai, Antonio Carlos. Perguntei se ele queria uma coluna aqui no blog para escrever textos dos mais diversos assuntos; ele topou. O nome já é mais do que sugestivo, né?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.