Páginas

17 de fevereiro de 2016

Spotlight e o jornalismo investigativo

Boston, 2002. Um grupo de jornalistas do jornal The Boston Globe começa a investigar supostos casos de pedofilia dentro da arquidiocese de Boston. Conforme a investigação vai se aprofundando, eles acabam descobrindo que a própria Igreja Católica tentou encobrir esses casos e pressionava o jornal, que aceitava com medo de perder grande parte dos seus leitores. O buraco é muito mais fundo e a lista de vítimas não para de crescer, o que aumenta ainda mais a responsabilidade dos jornalistas em trazer o escândalo à tona. 


O elenco do filme é poderoso. Grandes nomes como Mark Ruffalo (Hulk dos Vingadores), Michael Keaton (Birdman) e Rachel McAdams (Diário de uma Paixãofazem parte do time de jornalistas retratados. O roteiro é outro ponto positivo, já que faz com que o espectador sinta-se preso e interessado em saber o final. 

Na história, podemos ver com detalhes como funciona o jornalismo investigativo. O Spotlight, nome do grupo de jornalistas que faz as investigações, é um setor separado do jornal que faz matérias mais completas e, muitas vezes, sigilosas. O estudo pode demorar meses para ser concluído, já que requer uma busca profunda e exata por provas e testemunhas. 


E vocês, já assistiram? Garanto que vale a pena - e não é só porque sou estudante de jornalismo, viu?! 

VEJA TAMBÉM
Clique aqui para dicas de filmes
Clique aqui para dicas de séries de TV

Um comentário:

  1. apesar do foco da investigação ser super pesado, gostei de conhecer o lado b da reportagem. as dificuldades dos jornalistas e mesmo a necessidade de provar o que eles estavam investigando! filme ótimo!

    ResponderExcluir